Você está em:

Geo-Escola alia tecnologia e acervo museológico na formação de professores de Geografia

Aliar o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação ao acervo do Museu Histórico e Geográfico para subsidiar o trabalho dos professores de Geografia em sala de aula. Esse é o objetivo do curso Geo-Escola, que teve início na última segunda-feira (9), no Museu.

O projeto visa disponibilizar dados geológicos, mapas e imagens da região de Poços de Caldas e utilizar as TIC’s como aproveitamento didático-pedagógico. A iniciativa contempla uma série de trabalhos sobre a geologia de Poços de Caldas, incluindo o cruzamento de dados com as amostras de rochas e minerais da Coleção Resk Frayha do Museu Histórico e Geográfico.

O curso é oferecido pela Secretaria Municipal de Educação, por meio do Centro de Referência do Professor e conta com três encontros (09, 10 e 16 de setembro), das 18h30 às 21h30, no Museu Histórico e Geográfico, além da realização de atividades extras e desdobramentos coordenados pelo professor Vinícius Arcanjo Monteiro, mestre em Ensino e História de Ciências da Terra, doutorando na Universidade Estadual de Campinas e fundador do Instituto Geopark Poços de Caldas, totalizando 24 horas de formação. Foram ofertadas 40 vagas distribuídas entre professores de Geografia da rede municipal e estadual, estudantes de Geografia e equipe do Museu Histórico e Geográfico.

Geodiversidade
O município apresenta grande potencial para o aproveitamento educacional na área, devido à sua rica geodiversidade, patrimônio geológico e geomorfológico, evidenciados pelas suas características físicas e pela história geológica local, que representa um modelo de caldeira vulcânica, a maior intrusão alcalina da América Latina e uma das maiores do mundo. “Assim como na maioria dos sítios de interesse geológico, a população que habita o maciço de Poços de Caldas pouco sabe sobre sua origem e sobre os motivos pelos quais essa importante estrutura deve ser preservada. Um primeiro passo para a proteção desse sítio passa, portanto, pela conscientização da população local sobre seu valor, enquanto patrimônio geológico e cultural, bem como para a necessidade e as formas de preservação. Isso pode ser alcançado por meio de um programa de educação e difusão da geologia”, ressalta o professor Vinícius Monteiro.

O curso é ministrado por uma equipe de professores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e da Universidade de São Paulo (USP) e contempla uma série de trabalhos sobre a geologia de Poços de Caldas. “O Maciço Alcalino de Poços de Caldas é um exemplo de laboratório a céu aberto de uma geologia complexa e que exibe diversos tipos de evidências das feições geológicas que ocorreram a 80 Ma [milhões de anos]. Como tal, essa estrutura é de importância única para o Brasil e para a América do Sul, representando um sítio de grande valor científico e cultural para o estudo permanente relacionados a petrografia ígnea, bauxitização, fontes hidrotermais, urânio, tório e terras raras, entre outros. Devido a sua dimensão, esta área pode significar um importante cenário de estudos da história das ciências da Terra e por esta razão necessita de ser preservado”, afirma Monteiro.

“O Geo-Escola está em consonância com a proposta da Secretaria Municipal de Educação de oferecer formação continuada de qualidade aos educadores da rede, pautada sempre pelo caráter científico da Educação. Nosso objetivo com esse projeto é divulgar os dados geocientíficos para além do circuito acadêmico universitário”, destaca o coordenador do Centro de Referência do Professor, Cleiton Corrêa.

O curso
Na segunda-feira (9), o cronograma contou com o tema “Plataforma Sul-Americana: Apresentação da Obra Geologia do continente sul-americano”, com o Prof° Dr. Celso Dal Ré Carneiro, além da apresentação do projeto Geo-Escola, com o Prof° Dr. Ronaldo Barbosa. “A interação foi excelente no primeiro dia da formação presencial com os professores da rede municipal. Os educadores são ótimos”, avalia o professor Vinícius Monteiro.

Na última terça-feira (10), o programa incluiu os seguintes conteúdos: “Minerais raros de Poços de Caldas: Introdução a mineralogia”, com a Prof° Dra. Andrezza Azzi e “Introdução a plataforma Moodle: Apresentação de metodologias de ensino à distância e AVA”, com a analista de desenvolvimento de sistemas da Unicamp, Fernanda Ramos.

Já no dia 16/09, o tema do encontro será “Patrimônio geológico do Maciço Alcalino de Poços de Caldas: Inventário de reconhecimento do Patrimônio Geológico do Maciço Alcalino de Poços de Caldas, divisa MG/SP”, com o Prof° Ms. Vinícius Monteiro.

O projeto
O Projeto Geo-Escola é uma proposta já desenvolvida no Estado de São Paulo, que chega a Minas Gerais com o Módulo Poços de Caldas. A iniciativa visa disponibilizar dados geológicos, imagens e mapas de uma dada região em formato de material didático com suporte em computador a professores de ensino fundamental e médio.

O módulo Poços de Caldas tem como diferencial a temática base do Patrimônio Geológico do Maciço Alcalino de Poços de Caldas. O patrimônio geológico abrange todos os elementos que compõem a geodiversidade. São afloramentos de rochas, ocorrência de fósseis, minerais, estruturas geológicas e até mesmo paisagens que apresentem um significado didático, científico, cultural ou turístico, conhecidos como geossítios.

Telefone

(35) 3697-5000

Endereço

Avenida Francisco Salles, 343, Poços de Caldas - 37701-013

Funcionamento

09:00 às 18:00h de seg. a sex.

ÓRGÃO RESPONSÁVEL

Secretaria Municipal de Comunicação Social